Salvador, Brasil

Fundada como São Salvador da Bahia de Todos os Santos, é a capital do estado da Bahia. Esta cidade brasileira tornou-se bastante popular, não só pelas suas praias, mas também devido à singularidade da sua gastronomia, música e arquitectura.
Em Salvador encontramos uma maravilhosa mistura de raças, cores e crenças que nos são apresentadas através da capoeira, da percussão, das danças, do candomblé ou até mesmo do característico Carnaval, um dos mais famosos do Brasil.
No boémio bairro do Rio Vermelho, a habitação número 33 da Rua Alagoinhas, denominada exactamente de “Casa do Rio Vermelho”, ganha um destaque especial, pois foi ali que residiram Jorge Amado e Zélia Gattai. Foi nesta casa que os escritores baianos receberam visitas ilustres, como o escritor chileno Pablo Neruda ou o músico Tom Jobim. Como curiosidade há ainda a acrescentar que o imóvel foi comprado com a venda dos direitos do romance Gabriela, Cravo e Canela ao estúdio MGM, na década de 60. Ainda no Rio Vermelho, junto à praia, fomos conhecer a Casa de Yemanjá e ficámos a saber um pouco mais acerca da festa que se realiza a 2 de Fevereiro. É em Salvador que se realiza a maior festa de homenagem a Yemanjá do Brasil. Esta comemoração atrai às praias do Rio Vermelho uma imensa multidão de fiéis e admiradores. Os festejos têm início de madrugada, quando devotos do candomblé, da umbanda ou do catolicismo colocam ofertas e bilhetes em balaios que vão ser, posteriormente, levados para alto mar. Todas as pessoas comemoram da mesma forma, independentemente da sua religião, levando flores, perfumes, champanhe ou velas. Estes rituais visam, sobretudo, agradar à Rainha do Mar, de forma a que esta possa abençoar cada vez mais os pescadores que trabalham nas suas águas.
Igreja do Senhor do Bonfim
A Igreja Basílica Santuário Senhor Jesus do Bonfim, foi construída entre 1746 e 1754 para receber a imagem do Senhor Jesus do Bonfim, proveniente de Lisboa, em 1754. Para o povo baiano, a Igreja do Bonfim é o maior centro de fé católica, e também daqueles que, pelo sincretismo, observam no local o ponto máximo da religião. Devido à sua enorme representatividade a Basílica atrai até si muitos devotos, peregrinos e turistas. As famosas fitas do Bonfim são vendidas nas imediações da Igreja e há a tradição de fiéis e turistas as atarem às grades do local, efectuando desta forma os seus pedidos. Estas fitinhas começaram a ser confeccionadas no XIX e eram conhecidas originalmente como “medida do Bonfim”, denominando-se assim devido ao facto de medirem exactamente 47 centímetros de comprimento, a medida do braço direito da estátua do Senhor do Bonfim.
Pelourinho
Este é o bairro mais popular de Salvador, famoso sobretudo pelos seus casarões coloridos, igrejas e museus. Na época do Brasil Colónia, esta era uma área onde habitavam as famílias com mais posses e funcionava ainda como centro comercial e administrativo. Por volta de 1950, o Pelourinho vivenciou um período de intensa degradação e, apenas a partir de 1990 (com a revitalização da região), é que se tornou o centro cultural que podemos observar actualmente, tendo nas últimas décadas atraído artistas de vários géneros, como por exemplo: cinema, música ou pintura. Os casarões que foram restaurados e ganharam novas cores foram transformados em bares, hotéis, lojas e restaurantes e, ao caminharmos nesta área, podemos ainda assistir a várias atracções artísticas e musicais. Se o Pelourinho lhe está a parecer familiar, apesar de nunca ter visitado Salvador, isso dever-se-á provavelmente ao facto de reconhecer este local como cenário do teledisco “They don’t care about us“, de um dos mais famosos cantores de sempre Michael Jackson.
ELEVADOR LACERDA
O Elevador Lacerda foi o primeiro elevador urbano do mundo. Sendo um dos pontos turísticos mais visitados de Salvador, funciona como transporte público entre a Praça Cairu, na Cidade Baixa e a Praça Tomé de Sousa, na Cidade Alta. A sua construção teve início em 1869, por meio da iniciativa de António de Lacerda e começou a funcionar em 1873. O Elevador Lacerda está localizado na rocha da montanha que separa os 72 metros entre Cidade Alta e Cidade Baixa, nas margens da Baía de Todos os Santos, e permite-nos usufruir de uma das mais fantásticas vistas de Salvador. Este elevador chega mesmo a transportar uma média de 900 mil passageiros por mês (cerca de 28.000 por dia) e o percurso tem um custo de 15 centavos.
FAROL DA BARRA
Desde a época da descoberta do Brasil, a Barra teve sempre uma grande importância estratégica para defesa da colónia por parte dos portugueses. Em 1536, no local onde está actualmente o Farol, foi erguido o Forte de Santo António da Barra, onde se realizou a defesa da cidade de de inúmeras invasões estrangeiras. A ocorrência de um naufrágio nas proximidades do Forte, no século XVII, levou a que se procedesse à construção de um Farol para orientação das embarcações, função essa que mantém até aos dias de hoje.
O Largo do Campo Grande, também conhecido como Praça 2 de Julho, é uma praça de Salvador. Com origem no início do século XIX sofreu uma série de transformações urbanísticas ao longo da sua história. O Largo pode ser visto como um importante centro cultural devido à presença, nas suas imediações,de instituições como o Teatro Castro Alves (TCA) e o Teatro Vila Velha, de importantes colégios e de associações como a “Casa d’Itália”. No centro do largo encontra-se o Monumento ao Caboclo, também denominado de Monumento ao Dois de Julho. É uma homenagem à Independência da Bahia e à figura de “O Caboclo” e inclui também alegorias em referência ao Rio São Francisco, à Cachoeira de Paulo Afonso e ao Rio Paraguaçu.
Mercado Modelo

O Mercado Modelo fica localizado no bairro do Comércio, umas das áreas mais antigas e tradicionais de Salvador. Aqui podemos encontrar uma enorme variedade de artesanato e de artigos típicos da cultura baiana: berimbaus e outros instrumentos musicais, rendas e cestaria da Ilha de Maré, bordados e trançados, as famosas bonecas de pano vestidas de “baianas”, figas, patuás, pencas de balangandãs, fitinhas do Senhor do Bonfim ou ainda objectos religiosos ligados ao catolicismo e ao candomblé.
A maior atração turística de Salvador são, sem dúvida, as suas praias. Há locais mais tranquilos e que convidam a bons mergulhos e outros com ondas mais fortes, mais propícios à prática de surf. Não faltam opções para quem quiser ter o pé na areia e contemplar o mar: Porto da Barra, Farol da Barra, Ondina, Rio Vermelho, Amaralina, Pituba, Jardim de Alah, Armação, Praia dos Artistas, Corsário, Jaguaribe, Piatã, Itapuã e Stella Maris, são algumas das praias que podemos escolher.
Culinária
Não podemos deixar de falar da gastronomia da Bahia, pois esta é uma das expressões mais vincadas da identidade baiana. A influência africana é notória, sobretudo ao nível dos temperos e condimentos exóticos e diferenciados. Nesta culinária estão ainda patentes influências portuguesas, indígenas e existem ainda pratos que tiveram a sua origem em senzalas e que eram feitos a partir das sobras do abate dos animais que os donos davam aos seus escravos. Os pratos típicos mais populares são: moqueca, bobó de camarão, xinxim de galinha, casquinha de siri, arroz de hauçá, quiabada, carne do sol com pirão, rabada, mocotó e sarapatel. Deixamo-vos em seguida fotos da fabulosa moqueca de camarão ( acompanhada de pirão e arroz branco) que não pudemos deixar de provar.
 Nestas visitas contámos com a preciosa ajuda do Sr. José Queiroz, guia turístico da cidade. Se quiserem recorrer aos seus serviços, nós recomendamos. Podem contatá-lo por e-mail ou por telefone: 55 71 9323 7674 (Whatsapp).

Publicações relacionadas

Leave a Reply

Subscreva o nosso canal no Youtube

%d bloggers like this: